Acabar com os distúrbios sexuais

O estresse e Distúrbios do Sono enquanto o estresse pode prejudicar o interesse sexual por, literalmente, a condução de distração, o seu efeito sobre o desejo sexual é mais insidioso. O estresse desencadeia a produção de cortisol, um hormônio que funciona um pouco como um corpo integrado no sistema de alarme. O Cortisol não só causa a constrição dos vasos sanguíneos, contribuindo para a disfunção erétil, pode causar uma queda abrupta nos níveis de testosterona.

O estresse também está associada à insônia e outras alterações de sono, o que pode aumentar o risco de fadiga e deixar você menos interessado em sexo. Há ainda algumas evidências de que o elevado nível de cortisol pode aumentar o risco de apnéia obstrutiva do sono (OSA), uma condição associada com a redução do dia de testosterona por qualquer lugar de 10 a 15 por cento.

Como acabar com os distúrbios

O tratamento pode envolver técnicas de gestão do stress e o uso de pressão positiva das vias respiratórias e a melhoria da higiene do sono, para tratar condições como OSA e insônia. Se o estresse está associado a um transtorno de ansiedade, medicamentos podem ser necessários, alguns dos quais (como as benzodiazepinas), pode aumentar em vez de aliviar a baixa libido.

Estilo de vida Existem fatores de estilo de vida que podem contribuir significativamente para a baixa libido em homens. Estes tendem para mais prontamente corrigida por, simplesmente, alterar ou interromper o comportamento. Entre eles fumar não só diretamente, aumenta o risco de ED, mas indiretamente prejudica a excitação sexual, de acordo com um estudo de 2012 da Universidade do Texas, em Austin.

O álcool, quando usado em excesso ou ao longo de anos, redirecionamentos de enzimas necessárias para sintetizar a testosterona dos testículos para o fígado, resultando na redução dos níveis de testosterona. A obesidade prejudica diretamente o metabolismo e a função de alguns hormônios, resultando em uma redução significativa da testosterona total e livre.

Melhorar o sexo

Por outro lado, o exercício e a perda de peso não só melhora o humor e os níveis de energia, melhora a função sexual e a auto-imagem. Enquanto os efeitos negativos que estes comportamentos são claras, ele nunca é sábio “pin” baixa libido no estilo de vida único factor sem antes consultar um médico a fim de explorar todas as outras causas possíveis.

Se a perda de libido é a afetar o seu relacionamento, você precisa tomar cuidado extra para evitar dirigir a culpa em si mesmo ou de seu parceiro. Em vez disso, você estaria bem servido para abordagem de soluções como um casal, nem de atribuir a ele como “seu problema” ou “meu”, mas, ao invés de um para o qual você tanto participar ativamente.

Isto requer uma comunicação aberta e honesta, não apenas sobre os sintomas físicos de baixa libido, mas os mais emocionais. Isso permite que você identifique quais médico ou médicos são necessários para diagnosticar e espero que tratar a doença.

Potencializar o sexo

Isto poderá incluir um médico endocrinologista, médico urologista, doença crônica especialista, psiquiatra, terapeuta sexual, ou outro profissional de saúde. Pode não ser uma solução rápida, mas, com tempo e paciência, poderá ser encontrada uma solução.

Entretanto, tente lembrar-se que a perda do desejo sexual não é a mesma coisa como a perda de um desejo por intimidade. Mesmo quando lutando com disfunção sexual, fazer todos os esforços para conectar-se emocionalmente e fisicamente. Fazendo isso, você pode forjar uma análise mais encorpado e pode até mesmo acabar fortalecimento de seu relacionamento.